PM Tech - Gerenciamento de Projetos

 

« Volta  |  Home » Cursos » Scrum » Entrevista

Entrevista com Rafael Prikladinicki

Entrevistamos Rafael Prikladnicki, instrutor do curso de Gerenciamento Ágil de Projetos com SCRUM na PM Tech.

PM Tech: O que são os chamados métodos ágeis para desenvolvimento de software?
 
Rafael Prikladnicki: Agilidade é um termo que está muito na moda no Brasil e no mundo e ainda é motivo de diversos questionamentos e dúvidas. De forma geral, ser ágil pressupõe uma mudança cultural na forma como projetos são planejados, executados e entregues. Muitos pensam que agilidade é coisa para desenvolvedores, que ser ágil significa não documentar nada. É simplesmente sentar e desenvolver. Mas é muito mais do que isso. Muitas empresas estão tendo mais retorno de investimento, melhorando seu ambiente de trabalho, inovando seus projetos e aumentando a sua qualidade ao adotar princípios e práticas ágeis. Muitos clientes estão mais satisfeitos trabalhando com fornecedores que adotam princípios ágeis. E muitos clientes estão aprendendo a contratar projetos usando princípios ágeis. O que diferencia métodos ágeis de uma abordagem chamada tradicional são o enfoque e os valores. A idéia dos métodos ágeis é priorizar o enfoque nas pessoas e não em processos. Além disso, uma característica dos métodos ágeis é que eles são adaptáveis ao invés de serem prescritivas. Com isso, eles se adaptam a novos fatores decorrentes do desenvolvimento do projeto, ao invés de procurar analisar previamente tudo o que pode acontecer no futuro.

PM Tech: Como você começou a trabalhar com métodos ágeis e por quê?
 
Rafael Prikladnicki: Bom, meu primeiro contato foi em 2002, na época do meu mestrado em Ciência da Computação na PUCRS. Eu estava estudando desenvolvimento de software com equipes distribuídas e pesquisando sobre processos de desenvolvimento de software. Na minha revisão de literatura acabei escrevendo bastante coisa sobre XP (Extreme Programming), método ágil cujo foco é nas práticas de Engenharia de Software. Com Scrum meu primeiro contato foi em 2004, quando comecei a lecionar a disciplina de Engenharia de Software para alunos do Bacharelado em Ciência da Computação na Faculdade de Informática da PUCRS. Desde então, venho utilizando toda a essência dos métodos ágeis no meu dia a dia de trabalho, seja na Universidade ou na minha atuação no mercado. E a razão é muito simples: trabalhar com métodos ágeis é trabalhar com uma combinação de princípios, valores e boas práticas que focam nas pessoas, na comunicação, na confiança e na cultura. O lado humano fica mais evidenciado, o ambiente de trabalho fica mais transparente e a produtividade tende a melhorar.

PM Tech: E o Scrum, o que é?

Rafael Prikladnicki: Muita gente pensa que Scrum e métodos ágeis são a mesma coisa. Mas na verdade Scrum é apenas um dos métodos ágeis. Atualmente é um dos métodos mais conhecidos, e mais utilizados. É o único método que possui uma instituição de apoio, a Scrum Alliance. O Scrum teve suas raízes em indústrias japonesas no início de 1986 através dos professores Takeuchi e Nonaka, mas começou a ser usado nos moldes atuais apenas em 1996, quando o framework do Scrum foi formalizado por Jeff Sutherland e Ken Schwaber. Suas técnicas enfatizam a realização de reuniões diárias, o aumento da autonomia dos membros do time e foco nas entregas. Apesar de o Scrum ser relativamente novo, a demanda pela sua adoção tem crescido significativamente no Brasil e no mundo.

PM Tech: Uma pergunta recorrente também é sobre a relação entre o Guia PMBOK® e o Scrum. Podemos ter o Guia PMBOK® ágil, por exemplo?
 
Rafael Prikladnicki: Bom, isto é bem polêmico, e existem diversas correntes, cada uma com a sua interpretação. Eu tenho uma formação baseada no Guia PMBOK® e mais recentemente em métodos ágeis. Minha visão é de que ambos (PMBOK e Scrum) se complementam. O Jim Highsmith, um dos autores do Manifesto Ágil publicado em 2001 (www.agilemanifesto.org), diz no seu livro (Agile Project Management) que o Scrum seria mais utilizado em uma visão de gestão de interações, enquanto que o Guia PMBOK® ajudaria na visão de um projeto como um todo. Além disso, o Guia PMBOK foi proposto para qualquer tipo de projeto, e não apenas projetos de TI, tornando-o mais abrangente. Finalmente, o que faz algo ser ágil ou não na maioria das vezes é a nossa interpretação, que está associada com nossos princípios e valores. O Guia PMBOK® prevê planejamento em ondas sucessivas, por iterações, mas pouca gente usa ou sabe que isto é possível (OBS: Atualmente o vincorporou também o ciclo adaptativo, uma referência aos métodos ágeis). Ou ainda, se sente mais confortável no conhecido planejamento tradicional, com todo o plano feito no início do projeto. O próprio PMI lançou, em Agosto de 2009, de forma oficial, a comunidade de prática de métodos ágeis (Agile CoP) e a certificação PMI-ACP (Agile Certified Professional), entendendo que é possível aproximar os dois mundos. Este lançamento foi feito inclusive na Agile Conference, em Chicago, principal evento mundial de métodos ágeis. Então é possível sim trabalhar junto, mas nem sempre é a melhor opção. É uma decisão que vem não apenas com a experiência e prática, mas acima de tudo com a vivência, erros e acertos, entendendo quais as melhores alternativas para diferentes projetos, empresas e pessoas.

PM Tech: E para quem tem interesse nos métodos ágeis, como e por onde começar?
 
Rafael Prikladnicki: Cultura. O uso de métodos ágeis envolve acreditar em uma forma diferente de planejar e executar o seu trabalho no dia a dia. Eu sempre sugiro trabalhar a mudança cultural como ponto de partida. Em paralelo, devemos buscar apoio, através de cursos de capacitação e acompanhamento. Muitas vezes é um risco ler um material e achar que podemos começar a usar um método. Neste caso, se der errado, será mais fácil colocar a culpa no método.

PM Tech: E este curso de Scrum na PM Tech, o que podemos esperar?
 
Rafael Prikladnicki: O curso de Scrum tem tido um retorno bastante positivo da comunidade ágil no Rio Grande do Sul. É um curso onde procuro passar a minha experiência e visão não apenas sobre Scrum, mas também sobre métodos ágeis em geral, trazendo questões polêmicas, questões em aberto e todos os conceitos necessários para que o aluno possa sair do curso com idéias de como adotar métodos ágeis na sua empresa e, mais especificamente, ter o apoio do framework do Scrum. Eu defino como um curso teórico-prático, onde discutimos os conceitos e praticamos através de diversas dinâmicas. O curso possui pelo menos seis dinâmicas que exploram todos os aspectos dos métodos ágeis, sendo três dinâmicas específicas sobre Scrum. Os alunos aprendem na prática a estimar projetos ágeis, desenvolver cronogramas ágeis e lidar com problemas do dia a dia dos projetos, tais como mudança de escopo, troca de membros de equipe e retrabalho. Algumas destas dinâmicas foram inclusive apresentadas em duas das principais conferências de métodos ágeis– a Agile Conference em Chicago em Agosto e as Jornadas Latino-Americanas de Metodologias Ágeis. Neste curso de Scrum da PM Tech ainda teremos uma dinâmica exclusiva e inovadora.

PM Tech: Este é um curso introdutório?

Rafael Prikladnicki: Eu defino o curso como introdutório, mas em todas as minhas turmas tive profissionais que já usavam o Scrum há um bom tempo e todos identificaram dificuldades no seu uso. Sendo assim, apesar de ser introdutório, alunos que já usam Scrum têm aprendido bastante a partir da troca de experiências com outros alunos, fazendo com que o curso seja orientado a uma rica troca de experiências. Em outras palavras, procuro nivelar sempre por cima, trazendo o conceito e diversas experiências (boas ou ruins) da aplicação do conceito na prática.

PM Tech: Certo, mas qual é o diferencial deste curso?

Rafael Prikladnicki: Bom, o próprio curso é diferente. O fato de discutir métodos ágeis como um todo e ser bastante focado na prática o torna inovador. Algumas dinâmicas que usamos no curso podem ser usadas pelos alunos em suas empresas. Tivemos diversos casos de alunos que aplicaram as dinâmicas e nos enviaram relatos bastante positivos, e isto apenas reforça o compromisso que temos com a capacitação e contribuição com a melhoria da qualidade dos nossos profissionais. Além disso, ainda vamos disponibilizar um CD com diversos artigos e alguns softwares gratuitos, além de um deck de planning poker para cada aluno matriculado. Fora, é claro, dos benefícios já conhecidos para todos os alunos da PM Tech.

PM Tech: Ótimo Rafael. Agradecemos esta entrevista e esperamos que este curso de Scrum tenha bastante sucesso.

Rafael Prikladnicki: Eu é que agradeço a oportunidade. Como mensagem final, eu convidaria a todos para conhecer a essência do Scrum. Grande parte das resistências que ainda existem hoje tem sua origem na interpretação equivocada do uso e dos objetivos dos métodos ágeis. Sendo assim, é necessário formar a base, nivelar conhecimento e analisar a aplicabilidade nas empresas. Nem sempre um ambiente vai ser propício para a adoção dos métodos ágeis. Tampouco do Scrum. E é isto que esperamos com este curso. Preparar empresas e profissionais para um melhor entendimento do uso do Scrum no seu contexto.

PM Tech Capacitação em Projetos | Telefone de Contato: (51) 3084-3122 | E-mail:
© PM Tech 2016.
Todos os direitos reservados.
PM Tech é marca registrada da PM Tech Capacitação em Projetos.
PMI, PMP, CAPM, PMI-ACP, PMI-RMP, PgMP, PMBOK e o logotipo PMI
Registered Education Provider são marcas registradas do Project Management Institute, Inc
PMI
Siga nos: Facebook   Twitter   LinkedIn   Google+   Flickr